quarta-feira, 27 de março de 2013

Senador Valadares defende MP da Alfabetização na Idade Certa


O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), ocupou a tribuna do Senado, hoje ontem para manifestar seu voto favorável à Medida Provisória 586/2012, que institui o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. A MP estabelece que as escolas públicas devem alfabetizar os alunos até os oitos anos de idade. A medida provisória foi aprovada e segue para sanção presidencial. Para Valadares a MP vem ao Senado num momento crítico no que se refere às conquistas na área da educação. “Temos ainda 12,9 milhões de analfabetos. Onde a região mais sofrida e pobre, a Nordeste detém o índice maior de analfabetismo”, disse Valdares.


O senador lembrou que enquanto as regiões Sudeste, Sul e têm índices de analfabetismo de aproximadamente 4,9%, o Nordeste tem 16,9%, três vezes mais. “Essa disparidade, distorção, não pode ser corrigida de um dia para o outro. Até por que, desse número de quase 13 milhões de analfabetos, houve a redução de 1% em três anos, o que significa que algo novo precisa ser feito. É necessária uma legislação mais perto do sistema educacional brasileiro para que a educação não seja apenas um sonho. Mas, que a meta apresentada, que até 2022 não haja mais nenhum analfabeto no país, seja alcançada”, declarou.

Valadares ressaltou que o índice de aplicação de recursos em educação no país ainda é muito pequeno. “Apenas 5,3% do PIB é aplicado em educação pública. Há propostas, que eu acredito que serão aprovadas, para elevar esse índice para 10%. E, com isso, certamente, as regiões mais pobres serão beneficiadas”, disse. Ele esclareceu que o Pacto da Alfabetização na Idade Certa tem a preocupação de injetar recursos na educação a fim de aumentar a qualidade do ensino. 

“Eu vibro quando um senador do Sul do país vem aqui e diz que 92% de suas crianças estão alfabetizadas. Mas, eu moro no Nordeste. Eu estudei praticamente minha vida inteira em escola pública, quatro anos do Ensino Fundamental, o Ensino Médio e a Universidade e sei das vantagens e desvantagens. Por isso, voto favorável a MP 586/2012, que é uma proposta que se preocupa em fortalecer a educação”, concluiu.

Por Ana Paula Dourado (Brasília-DF)
Assessoria de Imprensa – Gabinete do senador Antonio Carlos Valadares

Nenhum comentário:

Postar um comentário