quinta-feira, 14 de março de 2013

Projeto Carnalita torna-se o principal investimento da Vale em potássio

O estado de Sergipe surge como polo produtor de fertilizantes capaz de assumir o projeto central do segmento de potássio da Vale Fertilizantes. Matéria publicada no jornal Valor Econômico nesta quarta-feira, 13, indica que a empresa planeja interromper a exploração da mina de potássio na Província de Mendoza, na Argentina, onde se localiza o projeto Rio Colorado. Com essa suspensão, o projeto Carnalita torna-se o principal investimento da Vale em potássio, com um aporte de US$ 4 bilhões e capacidade de produção de 1,2 milhão de toneladas do minério.

É a confirmação da luta do governador Marcelo Déda que trabalhou arduamente para que a Vale fizesse um acordo com a Petrobras, a fim de viabilizar o Projeto Carnalita, entendendo a importância da exploração do minério para a economia do Estado e para impulsionar a cadeia produtiva de fertilizantes do país.
 
A renovação do direito da mineradora de explorar as reservas em terras petroleiras por mais 30 anos foi costurada ao longo dos últimos cinco anos e contou com a participação do governador Marcelo Déda. Déda trabalhou junto ao Governo Federal para pôr fim ao imbróglio entre as duas empresas, sempre conduzindo reuniões entre ambas as empresas. Em abril último, a presidenta da República, Dilma Rousseff, esteve em Sergipe para a assinatura do projeto Carnalita.

Valor
 
A publicação do jornal Valor explica que o Rio Colorado era o projeto âncora do segmento de potássio da Vale Fertilizantes, com potencial para produzir 4,3 milhões de toneladas anuais, mas o alto custo do investimento impossibilitou sua implantação.
 
“Rio Colorado era o projeto âncora do segmento de potássio da Vale Fertilizantes, com potencial para produzir 4,3 milhões de toneladas anuais. Fontes próximas à empresa realçam que foram muitos os desafios para levá-lo adiante, mas que os desequilíbrios macroeconômicos do país vizinho foram mais fortes. Além do acréscimo de custos, afirmam essas fontes, pedidos das províncias por onde ia passar a logística levaram o projeto de um estado de viabilidade para um estado de inviabilidade. O projeto não conseguiu apresentar retorno para a Vale”, informa o texto do Valor Econômico.
 
Carnalita
 
Único produtor do minério do País, Sergipe é uma opção de investimento menos onerosa para a Companhia. A jazida, localizada no município de Rosário do Catete, pertence à Petrobras e será explorada pela Vale para  atender a crescente demanda agrícola nacional e reduzir as importações do produto. 
 
A viabilidade econômica da Carnalita está entrelaçada à atividade agronômica no Brasil, um dos maiores produtores agrícolas do mundo. Além de diminuir a dependência externa do insumo, o potássio motivará oportunidades de novos negócios na cadeia produtiva de fertilizantes e consequentemente aumentará a geração de novos empregos.
 
 O Projeto Carnalita deve gerar cinco mil empregos durante sua fase de impantação e outras 700 vagas permanentes quando entrar em operação. O empreendimento também deve impulsionar a cadeia produtiva de fertilizantes instalada no Estado. Além da produção de potássio feita pela Vale, a Fafen produz nitrogênio e há oito misturadoras de fertilizantes




leia também:

Presidente do PSC Sergipe recebe representantes da ABGLBTT

Sindicalista diz que São Cristóvão virou terra do terror para servidores

Armando rebate sindicalista e diz que prefeitura tem rombo de R$ 43 milhões

Sessão especial discute 10 anos do Aracaju de Tototó e preservação do Rio Sergipe

Proibição de trabalho para menor de 16 anos deve constar do ECA

Jurista aponta falhas na definição de conceitos no projeto de Reforma do Código Penal

Copom mantém em 5% projeção de reajuste da gasolina este ano

TJSE foi o único do País a julgar todos os homicídios dolosos

Justiça determina realização de adequações nas delegacias metropolitanas e no COPE

Projeto Carnalita torna-se o principal investimento da Vale em potássio

Estudos para a implantação do BRT em Aracaju começam a ser realizados

Nenhum comentário:

Postar um comentário