terça-feira, 26 de março de 2013

Gustinho defende Pré-Caju

“É o maior carnaval fora de época do país e além de tudo isso é preciso registrar que neste último ano o item segurança precisa ser ressaltado. Foram mais de 600 mil pessoas e não houve uma morte sequer. Ser contra o Pré-Caju é ser contra o desenvolvimento de Sergipe, pois gera empregos em vários setores da engrenagem econômica”. Foi o que disse o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Gustinho Ribeiro (PSD), em defesa do Pré-Caju.
Gustinho que aparteou o líder da oposição na AL, deputado Venâncio Fonseca (PR), que saiu em defesa da maior micareta do País, lembrou que a festa hoje já faz parte do calendário cultural do estado além de gerar emprego e renda eleva o nome de Sergipe em todo o País.

O deputado que um folião lembrou que a festa acontece há 22 anos e atrai turistas de todo o País, mas especificamente dos estados da Bahia, Alagoas, Pernambuco, movimentando a econômica local com a ocupação de hotéis, pousadas e aluguel de casas, como também a venda de comida em todo o seu percurso, bebidas e os catadores de latinhas, ou seja, toda uma cadeia de geração de emprego é movimentada.

Segundo Venâncio , “o Pré-Caju é uma festa que acontece há 22 anos em Sergipe. A juventude aprendeu a amar e querer bem e espera o ano inteiro pela festividade. Pessoas maduras também participam da festa, nos blocos e nos camarotes e acompanham dos prédios e até na pipoca”. Venâncio abriu um debate em torno do carnaval antecipado de Aracaju, considerado uma das maiores micaretas do país. O parlamentar, em defesa do evento, disse que a festa é realizada por empresários sergipanos e movimenta a economia do Estado. “Atrai turistas de todo o país, especialmente de Alagoas e da Bahia”, destacou.

Venâncio disse que a festa começou sem emendas, sem dinheiro público, e lembrou que no decorrer dos anos algumas edições foram feitas com emendas, “porque tinha direito, outros Estados tiveram”, destacou. Segundo ele, no Ceará e no Rio Grande do Norte as festas recebem recursos públicos através de emendas do Ministério do Turismo. Sergipe ia ficar de fora? Se recebeu é porque tinha direito. Agora, se recebeu, que fiscalizem. Para saber se foi aplicado corretamente”, disse. O líder da oposição declarou que para fiscalizar existem a CGU e TCU. “Agora não pode deixar de receber, outros Estados recebem”.

“O Pré-Caju há dois anos é realizado sem emenda do Ministério do Turismo, não deixou de acontecer. A festa tem a parte pública, que é a da pipoca. O Estado e a prefeitura têm que participar da festa, da estrutura. O baiano faz Carnaval com dedicação e recebe ajuda do poder público. E fazem com competência, deixa divisas para a capital baiana, recebem milhares de turistas do mundo, de Sergipe também e lá existe a participação do poder público”, ressaltou Venâncio, ao declarar apoio ao Pré-Caju.

De acordo com o parlamentar, no Rio de Janeiro o desfile das escolas de samba também têm a ajuda de verbas públicas. “Quem quiser acabar o Pré-Caju que diga. Não pode é questionar o local sem embasamento, faça uma pesquisa com os moradores da área do trajeto. Vai garantir que a comunidade decida. Se a comunidade quer, deixem, respeite a vontade popular. Agora se discute a questão do dinheiro público e depois a questão da segurança, mas não deixam de criar problemas para ver se festa deixa de existir”, lamentou. O deputado deu seu testemunho: a festa tem meu apoio e do prefeito João Alves Filho, que autorizou a festa de novo na avenida beira Mar.

O deputado Garibalde Mendonça também destacou que o Pré-Caju, realizado na área do mercado, foi uma tentativa que não deu certo. Segundo ele, nunca houve um governador ou prefeito em Aracaju que tenha deixado de participar da festa. “Porque traz divisas pra o Estado, lotam os hotéis e não fica uma casa sem ser alugada. Se existe problema, que se fiscalize, mas tem que ter dinheiro público. Não entendo porque esse tema agora, querem acabar com o Pré-Caju? Não estou entendendo”, comentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário