quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

“Projeto educacional é atrasado, autoritário e equivocado”, destaca a vereadora Lucimara (PCdoB)

Durante a discussão sobre o projeto de lei 04/2013 que trata da Gestão Democrática das Unidades Escolares da Rede Pública Municipal, a vereadora Lucimara (PC do B) foi enfática ao afirmar que o PL enviado pelo Poder Executivo extingue as eleições diretas nas escolas da capital sergipana.

“O projeto diz que a culpa da educação estar ruim é da gestão democrática nas escolas. Estão dizendo mais: que a culpa é de quem não soube votar no diretor. Que os pais não têm condições de escolher o diretor da escola dos seus filhos. Querem acabar com a eleição direta e justificam dizendo que este fato é o grande responsável pela baixa qualidade no ensino”, disse Lucimara.

Projeto autoritário
Lucimara enfatizou que é contra o PL 04/2013 por entender que o modelo democrático proposto pelo prefeito João Alves Filho é atrasado, autoritário e equivocado em diversos aspectos.

A parlamentar lamentou também ter que votar em um projeto que toma como base o fim da eleição direta para o cargo de diretor de escola e a redução da participação da comunidade nos conselhos que, em contrapartida, passa a receber mais atribuições, inclusive o de escolher os diretores.

“Entendo que se o processo mais democrático de gestão estivesse garantido e fosse aberto o diálogo com a comunidade escolar poderíamos discutir melhorias para o projeto. Entendo que há problemas sérios a serem enfrentados e que é o dever de todos nós perseguirmos o objetivo de melhoria da qualidade da educação”, declarou Lucimara.

Em relação ao projeto enviado pelo prefeito João Alves Filho, a parlamentar afirmou que não pode aceitar o argumento da culpa do processo democrático e a minimização de questões complexas que envolvem todo um sistema educacional.  
“Não consigo aceitar sem protestos que o grande projeto que promete resolver todos os problemas da qualidade do ensino seja balizado pelo boicote às conquistas  históricas de participação popular nos processos de gestão e de decisão”, finaliza a vereadora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário