quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Sistema de transporte de Aracaju será totalmente reformulado, diz Machado

Vice-prefeito confirma BRT e aprova Plano de Mobilidade deixado por Edvaldo, orçado em R$ 108 Milhões

Por Max Augusto 

Em entrevista exclusiva ao JORNAL DA CIDADE / BLOG DO MAX, o vice-prefeito eleito, José Carlos Machado (PSDB), afirmou que o sistema de transporte de Aracaju será totalmente reformulado na futura gestão do prefeito eleito João Alves Filho (DEM). Ele falou que o BRT será implantado e se mostrou empolgado com o Plano de Mobilidade Urbana deixado pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B), que está orçado em R$ 108 milhões. Ele espera que o Governo Federal libere recursos para a implantação do projeto.



Para Machado, o sistema de transporte de Aracaju deverá ser todo reformulado, por ser extremamente precário e sem confiabilidade.  “A responsabilidade não é apenas das empresas, a responsabilidade maior é do poder público, deve-se forçar o empresário a investir. Essa pressão, no sentido do empresariado ampliar o investimento, sobretudo em ampliar o número de ônibus novos, deve ser acompanhado de investimentos em infraestrutura, mas hoje não existem nem abrigos para ônibus”, avaliou o vice-prefeito que tomará posse no próximo dia 1º.

Ele também criticou a falta de mobilidade no trânsito, que seria consequência da ausência de investimentos durante várias gestões. “O trânsito em Aracaju não anda, o sistema viário de hoje é o mesmo de trinta anos atrás. A avenida Contorno, foi Lourival Batista quem fez, há cinquenta anos e Paulo Barreto duplicou, há trinta. A Saneamento, Canal e Coelho e Campos foi João, há trinta anos. Precisamos de investimentos, e eles devem ser continuados”, falou Machado.

Plano de Mobilidade
Após criticar a situação do trânsito e o transporte público na capital sergipana, Machado disse que ficou entusiasmado com o Plano de Mobilidade Urbana que recebeu do prefeito Edvaldo Nogueira. Ressaltando que nenhuma parte dele foi executada, o futuro vice disse ter ficado entusiasmado após analisar o plano, e destacou que a Prefeitura não poderá arcar sozinha com os investimento necessários para implementá-lo – ou seja, João Alves precisará da parceria não apenas do governo estadual, mas do governo federal.

O Plano já foi enviado para Brasília e está sendo analisado pelo Ministério das Cidades. “Gostei do projeto e vamos aprofundar a questão, vamos aguardar a resposta do Ministério, que está analisando o pedido de financiamento. O Plano de Mobilidade está orçado em R$ 108 milhões e se concretizarmos o apoio do governo federal, as obras poderão ser iniciadas no próximo ano. Mas é muito dinheiro, um grande investimento, tudo vai depender muito do prestígio junto ao governo federal”, vaticinou o líder tucano.

BRT
Questionado pela reportagem do JORNAL DA CIDADE sobre a implantação do BRT (Bus Rapid Transit - os corredores exclusivos para ônibus apresentados como proposta durante a campanha de João Alves Filho), Machado afirmou que as ações imediatas serão voltadas para os ônibus, sendo que a implantação do BRT ficará para uma segunda etapa.

Ele destacou ainda que ironicamente, o plano de mobilidade deixado pelo prefeito Edvaldo não propõe a instalação de um VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), proposta apresentada durante a campanha pelo candidato Valadares Filho (PSB), apoiado por Edvaldo. De acordo com o futuro vice, se Valadares Filho fosse eleito o atual plano de mobilidade teria que ser jogado ao lixo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário