segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Novo prefeitoafirma que dívidas em Rosário do Catete passam dos R$ 8 milhões

Afirmando estar preocupado com um suposto caos encontrado, o prefeito de Rosário do Catete, Laércio Passos (PSD), disse que, de acordo com o levantamento parcial, a dívida deixada pelo antecessor Etelvino Barreto (PMDB) chega a aproximadamente R$ 8 milhões. “São contas a pagar, incluindo fornecedores e folhas de pagamento em atraso”, relata. 

Ele diz estar preocupado também com a falta de certidões negativas. “Hoje, Rosário do Catete está na lista de inadimplentes da Receita Federal, o que inviabiliza a transferência de recursos através do Orçamento da União. Estamos levantando tudo para tentar recuperar a situação de regularidade do município, como deixamos há quatro anos”, frisa o prefeito. 

Segundo informações de populares, desde que o ex-prefeito perdeu a eleição para o seu opositor, o município foi deixado em completo abandono. Aliás, de acordo com os moradores, Vino sumiu da cidade e passou a despachar em Aracaju. “Você só encontrava ele em um escritório de contabilidade ou do seu advogado. Na cidade ele não aparecia mais”, conta um fornecedor, que tem valores a receber e por isso prefere não se identificar. 

Sem o prefeito na cidade, todas as obras apresentadas na campanha tiveram seus trabalhos suspensos. Serviços básicos, como atendimento médico nos postos de saúde, fornecimento da merenda escolar e a coleta pública também foram suspensos. No conjunto Etelvino Barreto Silva, por exemplo, a coleta não é feita a mais de três semanas, fazendo acumular em vários pontos muita sujeira. 

E os problemas não param na cidade. Um ginásio de esportes, que deveria ter sido entregue no meio do ano passado, hoje representa um enorme elefante branco, sem nenhuma utilidade. O investimento de aproximadamente R$ 1,2 milhão virou um amontoado de entulhos, sem nenhuma utilidade, e apenas com uma estrutura de aço levantada. “Esse ginásio mais parece uma quadra coberta. Começaram a obra em 2011 e mais de um ano depois ainda não foi concluída”, reclama o morador José dos Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário