segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

A JPMDB e a redução da maioridade Penal

Bruno Julio (*)

Está em discussão no congresso brasileiro um tema bastante controverso e atual que é a redução da maioridade penal. Tema que por sinal é bastante relevante não apenas pra nós que fazemos parte de uma  Juventude organizada, mas de milhões de brasileiros, entre advogados, juízes, policiais e cidadãos. Vivemos em uma sociedade que opta pela saída mais simples que nesse caso seria a redução e causaria um problema nada simples.



As crianças e adolescentes passaram por um período de total esquecimento, até se chegar a uma legislação especifica, que mesmo com lacunas, garantiu avanços sobre a questão. Sabemos que muita coisa já mudou, mesmo que algumas vezes só no papel, mas que ainda necessita de vontade política para se efetivar, e construir alternativas de mudanças para o quadro social atual e assim diminuir a criminalidade.

Sabemos que existe uma maturidade inerente a pessoas com menos de 18 anos, tendo sua mente e seus valores éticos em constante mudança e ainda em formação. Por estar nessa fase de mutação de valores e comportamento, acreditamos que seria possível corrigir as deturpações eventualmente sofridas e devolve-lo ao convívio social sem a necessidade de uma penalidade tão severa quanto é dada aos maiores de 18 anos. Vale ressaltar que a redução da maioridade Penal não iria resolver os problemas da criminalidade, pois o crescimento da violência deve-se mais a problemas sociais do que policias. Somado a essa questão devemos levar em conta que a malha carcerária brasileira, não possuiria vagas capazes de receber esse contingente de presos, resultantes dessa diminuição da maioridade penal, uma vez que é notório que o sistema carcerário esta superlotado, não havendo sequer como dar vazão aos presos maiores.  A redução pela redução nada adiantaria, uma vez que assim procedendo estaria aumentando o contingente  de um sistema carcerário falido. 

Devemos destacar com ampla aspa que o percentual de crimes praticados por menores é bem inferior  que o sensacionalismo midiático, chamando a atenção para a repercussão e notoriedade atribuída a casos pontuais, que geram uma sensação de insegurança por vezes maior que o vivenciado.

Só enfrentaremos esses problemas quando acreditarmos que a violência cometida por menos não é caso de Policia  e sim de estado, a manutenção da maioridade penal aos 18 anos, deve ser seguido de investimento estratégicos em educação e cultura para os Jovens e adolescentes. Já ouvimos falar de um antigo ditado popular, “Cabeça vazia, oficina do Diabo”, essa frase tem muito a ver com nosso tema, pois os investimentos em educação e cultura tirarão milhões de jovens e adolescentes das ruas, os colocando dentro das salas de aula e ocupando as suas mentes com aprendizado e crescimento pessoal, concluindo assim que a única saída para resolver o problema da violência cometida por menos é a Educação.

Investir  em educação é construir pontes para o um futuro melhor, tirando nossos jovens das ruas e da criminalidade e os transformando em pessoas melhores. Por isso nós da Juventude do PMDB, somos contra a redução da maioridade penal, por não resolver o problema e imputar peso sobre jovens que são vitimas da ineficiência do estado! Lutar contra a redução é lutar a favor da educação e a favor de um país melhor…

(*) Diretor Executivo de Universidades Pagas da União Nacional dos Estudantes, coordenador Nacional do MDB Estudantil/ JPMDB Brasil e Estudante de Direito da PUC- Minas.

Leia também:




Registros de crimes no Pré-Caju 2013 caem 28,64% em 2013



A JPMDB e a redução da maioridade Penal



Câmara pode votar neste ano alterações na Lei de Licitações e Contratos



MPF/SE move mais uma ação para preservar manguezais em Aracaju



Advogado já pode usar aplicativos do STJ para receber dados no celular



Justiça Eleitoral marca novas eleições em 17 municípios



Chuvas ainda devem continuar a ocorrer nas regiões noroeste e oeste do Sergipe



Lei municipal proíbe exclusividade de marcas na venda de bebidas em eventos e estabelecimentos comerciais



Câmara gasta R$ 32,4 mil com biscoito e chá



Minha Casa, Minha Vida bate recorde


Nenhum comentário:

Postar um comentário