sábado, 8 de dezembro de 2012

Jackson vai à sede da Petrobras em busca de recursos para reforma da Catedral

Na manhã de ontem, o vice-governador, Jackson Barreto, cumprindo missão repassada pelo governador Marcelo Déda, foi ao Rio de Janeiro participar de uma reunião com o diretor Corporativo e de Serviços da Petrobras, José Eduardo Dutra, objetivando buscar parceria para a restauração da Catedral Metropolitana de Aracaju. O encontro dá continuidade ao trabalho de captação de doações para a recuperação do prédio iniciado em dezembro de 2011 pelo governador Marcelo Déda e faz uma singela homenagem ao Dia da padroeira de Aracaju, Nossa Senhora da Conceição, celebrado neste sábado, 8. 

Em setembro, o Governo do Estado, através do Banco do Estado de Sergipe (Banese), oficializou a doação de R$ 1 milhão para a obra de restauração da Catedral. Além de simbolizar a religiosidade da população, o prédio referencia o crescimento urbano e cultural da cidade, já que foi uma das primeiras edificações construídas no Centro de Aracaju. A doação do Banese representa 25% do valor da restauração, orçada em R$ 4 milhões.

O empreendimento é tombado pelo Patrimônio Histórico do Estado e conta com o auxílio da Subsecretaria de Estado do Patrimônio Histórico e Cultural (Subpac) para a execução do projeto de restauração.  Conforme informações do subsecretário do Patrimônio Histórico, Luiz Alberto, os serviços de restauração da Catedral já estão em andamento. “A reunião de hoje é fruto do trabalho do Governo para a recuperação do prédio. A Catedral é um bem tombado pelo patrimônio histórico do Estado e é uma referência para a cidade de Aracaju. É um monumento do século XIX, com belos afrescos, o marco zero do projeto de Pirro, além de ser a referência maior para a comunidade Católica de Sergipe”, disse.

Denominado coordenador da comissão criada por Marcelo Déda para abordar essa questão, Jackson Barreto relembrou que o início de toda a mobilização ocorreu através de uma carta do pároco da Catedral. “Nós estamos vivendo um momento histórico, e tudo nasceu de uma carta enviada pelo padre Dácio dos Santos, relatando a situação física do prédio da catedral. Essa carta foi levada ao governador, e juntos pensamos como preservar aquele patrimônio, que é um verdadeiro ‘rosto’ da cidade, ícone da história da capital. Além de um símbolo da religiosidade católica, a Catedral simboliza muito para a memória de todos os sergipanos”, disse o vice-governador.

Nenhum comentário:

Postar um comentário