sábado, 29 de dezembro de 2012

Governo do Estado discorda da avaliação do Sintese e lamenta que critérios sejam apenas financeiros

O governo do Estado não concorda com a avaliação do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese) que lhe imputou a nota 2,1 em 2012. Segundo o governo, o critério utilizado para a avaliação é meramente financeiro sem levar em conta os avanços que o governo realizou em diversos campos da Educação estadual. Mesmo se o critério for apenas o financeiro, o governo entende que o Sintese está sendo injusto e solicita que o sindicato mostre para a sociedade outros governos em Sergipe que nas últimas décadas tenham oferecido mais reajustes e aumentos reais, acima da inflação, para todas as categorias dos professores estaduais.


Além do mais, o governo entende que é antidemocrático da parte do Sintese querer avaliar as administrações públicas já que ele não permite que os professores sejam avaliados. A Secretaria de Estado da Educação (Seed) contratou uma consultoria para avaliar o desempenho dos professores e o Sintese rejeitou a avaliação. Esta avaliação iria servir para ajudar a encontrar mecanismos para melhorar o trabalho dos professores, identificando falhas, necessidades de treinamentos, reciclagens e atualizações, levantamentos dos pontos fortes e fracos e diagnosticar as formas de corrigir os desvios para melhorar a qualidade da educação pública.

O governo aponta ainda que nunca o Sintese deu sua contribuição em questões outras que não fossem as salariais e jamais ofereceu uma proposta pedagógica para ser avaliada pela Seed, reforçando o caráter mercantilista das suas reivindicações. Nos anos anteriores, a nota dada ao governo do Estado estava na casa dos 4, em 2012, justo o ano em que o governo não teve condições de arcar com os valores salariais reivindicados pelo sindicato, a nota caiu pela metade. O governo acredita que, para o Sintese, Educação se resume a salários, mas mesmo neste item, o atual governo entende que realizou grandes avanços.

Basta pegar o contracheque atual de qualquer professor do Estado e comparar com os valores que ele recebia até 2007. O que ganhou menos dobrou seus rendimentos, tendo categorias que chegaram a triplicar o salário. Outro aspecto rejeitado pelo governo é a personificação dos protestos do Sintese que ataca diretamente a pessoa física do governador Marcelo Déda. O governo entende que se trata de uma relação institucional, mas mesmo assim, o sindicato faz questão de atacar a pessoa Marcelo Déda, denotando uma falta de critério e de respeito ao ser humano que, todos sabem, passa por um problema de saúde em busca de tratamento.

Em relação a esta questão, o Sintese se utiliza de dois pesos e duas medidas, pois quando trata das administrações municipais ele dá as notas e refere-se apenas ao nome do município, deixando desta forma muito claro a sua intenção de prejudicar a imagem do governador junto à sociedade. O governo entende ainda que, pelo trabalho que vem realizando nas questões pedagógicas e estruturais, muitas destas ações de forma inédita, que a nota dada pelo sindicato deveria levar em consideração estes avanços e lamentou mais uma vez que o critério usado seja apenas o salarial. 

O governo de Sergipe implantou o programa Sergipe Alfabetizado e de 2007 a 2012 mais de 185 mil pessoas jovens, adultas e idosas frequentaram as classes de alfabetização da Secretaria de Estado da Educação. Em relação à reforma de Escolas, de 2007 até os dias atuais, o Governo de Sergipe já reformou 72 escolas e quatro quadras. Até o momento, foram investidos mais de R$ 70 milhões nas reformas e ampliações das unidades de ensino da rede estadual e, até o final deste governo, estima-se que serão investidos recursos na ordem de R$ 190 milhões em reformas, ampliações, construções de escolas e quadras esportivas.

Em relação ao Programa Pré-Universitário, a Seed acumula êxitos todos os anos que podem ser observados nos resultados dos vestibulares de 2012, quando a rede pública estadual de ensino aprovou 3.733 alunos, representando um acréscimo de 23,20% em relação ao ano passado, cuja aprovação chegou a 3.030 alunos. Do total de alunos aprovados em 2012, 2.703 conquistaram vaga na Universidade Federal de Sergipe (UFS), 413 na Universidade Aberta do Brasil (UAB) e 617 em instituições particulares. O crescimento do número dos aprovados na UFS foi de 36,51% em relação aos vestibulares 2011, cuja aprovação na Universidade Federal abrangeu 1.980 alunos.

O governo de Sergipe, através da Seed, ofertou em 2012, 6.175 vagas no curso Pré-Universitário distribuídas em 39 polos presentes em 21 municípios. Ademais, operacionalizou quatro simulados preparatórios para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) voltados para os mais de seis mil alunos do curso Pré-Universitário e cinco simulados para os alunos do ensino médio em todas as escolas da rede pública estadual.

A Seed criou ainda diversas ações que ajudam a melhorar a qualificação dos professores e que nunca são levados em consideração pelo Sintese a exemplo de cursos de formação continuada e apoio a mestrados e doutorados.

LEIA MAIS


Financiamento público eleitoral poderá ser votado em 2013, mas divide opiniões


Dilma sanciona vale-cultura de R$ 50 mensais para trabalhador


Deso recomenda uso racional da água

 

Tudo pronto para o Réveillon na Orla da Atalaia

 

Edvaldo sanciona lei que reduz alíquota do ISS dos hospitais

 

TCE funcionará em horário diferenciado no mês de janeiro

 

Adiamento da vigência do acordo ortográfico teve apoio de senadores


Nenhum comentário:

Postar um comentário