segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Ex-secretários de João não deverão assumir cargos na Prefeitura

Ainda assim, ele deve anunciar poucas novidades: aliados antigos serão maioria

Por Max Augusto
 
Há dez anos o atual prefeito eleito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), estava sendo diplomado pela terceira vez governador do estado de Sergipe. A solenidade foi realizada no dia 19 de dezembro e João voltava ao cargo dez anos depois, com promessas de estar “reciclado” e modernizado. Apesar disso, uma semana depois ele apresentou seus secretários, a maior parte deles nomes que o acompanhavam desde seu primeiro mandato de prefeito, na década de 1970. Nesta segunda-feira João Alves será diplomado prefeito, e de novo a expectativa é que ele indique velhos amigos para seu secretariado – mas isso não deve acontecer, conforme o JORNAL DA CIDADE adianta agora.



No dia 23 de dezembro de 2002 João Alves anunciou os primeiros oito nomes que ocupariam secretarias: Max Andrade (Fazenda); Carlos Batalha (Comunicação); Luiz Mendonça (Segurança Pública); Nicodemos Falcão (Governo); Carlos Borges (Planejamento) e João Salgado (Meio Ambiente).

Entre eles, só Carlos Batalha deve voltar a trabalhar com João – pode assumir a Secretaria de Comunicação ou Funcaju. Max Andrade está afastado da política e no final do governo prestou um depoimento no caso Fubras, onde revela que foi determinação de João Alves a contratação da consultoria que prestou trabalhos à Deso e que gerou uma investigação por desvio de recursos.

Luiz Mendonça está desembargador, e portanto também está fora da lista. O ex-deputado estadual e ex-secretário Nicodemos Falcão, aos 72 anos, é outro nome que não deve ser convocado, já que João pretende mostrar ‘renovação’.  Já Carlos Borges, seria um dos nomes favoritos do futuro prefeito, mas seu retorno à vida pública parece pouco provável - já que ele exerce hoje um cargo na iniciativa privada, com salário algumas vezes maior do que o de secretário.

Já no dia 27 de dezembro o então governador anunciou o restante do seu secretariado: Etélio Prado (Cultura); Flávio Conceição (Casa Civil); Tácito Faro (Indústria e Comércio); Luís Durval (Infraestrutura); Pedrinho Valadares (Cultura e Turismo); Emanoel Cacho (Justiça); Eduardo Amorim (Saúde); Marcos Prado (Educação).

Desta segunda turma um nome é dado como certo: Luís Durval, que deverá ir para a Emurb. Flávio Conceição chegou ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) e se viu envolvido na Operação Navalha – onde João Alves é também acusado. Eduardo Amorim está senador e não estará no secretariado, mas seu grupo político deve tentar emplacar alguns nomes. Pedrinho Valadares também pode ser indicado para comandar uma pasta, enquanto os demais devem ficar de fora – por opção própria ou do prefeito eleito.

Quem assume
Se a maioria dos nomes “das antigas” estão descartados, João deve então apresentar um secretariado renovado? Mais ou menos. A maior parte das pessoas convocadas por ele, há dez anos, no início do seu último governo, não estarão ocupando cargos, mas por outro lado, outros que o acompanham há vários anos são presenças dadas como certas.

Sua irmã Marlene Calumby deve assumir uma secretaria ou comando de órgão – fala-se na Funcaju ou Educação. Já a senadora Maria do Carmo não deverá comandar a Secretaria da Ação Social, como tem sido especulado: Deve indicar alguém. O vereador Juvêncio Oliveira (DEM), que não conseguiu a reeleição, é outro nome de confiança que já teria a garantia do próprio João, de que não será esquecido.

É possível também que o prefeito eleito convoque algum vereador eleito, para abrir espaço ao suplente Anderson Gois (PSL) – a avaliação é que Anderson é bom de discurso e poderia ser o líder do governo na Câmara. Para isso, Nitinho (DEM) tem sido muito lembrado para a Secretaria de Juventude e Esportes, enquanto Emília Correia poderia ir para Ação Social. No mais, é esperar.

 
Secretários de João apresentados em 2002*
Fazenda - Max Andrade
Comunicação - Carlos Batalha
Segurança Pública - Luiz Mendonça
Governo - Nicodemos Falcão
Planejamento - Carlos Borges
Meio Ambiente - João Salgado
Cultura - Etélio Prado
Casa Civil - Flávio Conceição
Indústria e Comércio - Tácito Faro
Infraestrutura - Luís Durval
Cultura e Turismo - Pedrinho Valadares  
Justiça - Emanoel Cacho 
Educação - Marcos Prado
Saúde - Edvan Amorim 
*No governo do Estado

LEIA TAMBÉM:

Vereadores de Aracaju aprovam cotas para negros e índios em concursos



Ex-secretários de João não deverão assumir cargos na Prefeitura



Leis obrigam empresas a manterem cobradores em ônibus e prefeitura a afixar placas com itnerários nos pontos



Jackson critica deputado por votar contra o Proinveste



Senado endurece punição a motorista alcoolizado, mas não adota tolerância zero



Justiça condena oito empresas de cartões de crédito por cobranças indevidas


Nenhum comentário:

Postar um comentário