sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Dilma Rousseff pede a Déda que não desista do Proinveste

Durante a audiência, a presidenta mostrou-se solidária com o governador, prometeu agilizar os pleitos de Sergipe e antecipou que virá a Sergipe em janeiro

Numa longa audiência ontem, em Brasília, a presidenta Dilma Rousseff pediu ao governador Marcelo Déda que não desista do Proinveste, programa do Governo Federal que destinaria R$ 727 milhões em investimentos ao Estado e que foi rejeitado pela Assembleia Legislativa. No mesmo encontro, de uma hora e 15 minutos, a presidenta dedicou mais da metade do tempo a "um diálogo de fraternidade, de amizade, de solidariedade".
 
Ao ouvir sobre a rejeição do Proinveste "a presidenta ficou extremamente chocada", relatou Déda. "Ela mencionou que o Proinveste é uma política do Governo Federal, considerada estratégica para garantir o crescimento econômico do Brasil porque o alvo é aumentar o investimento público. Ela entendeu que Sergipe ficar de fora compromete a estratégia de garantir desenvolvimento para todos os estados".

No encontro, o governador comentou com Dilma que, caso a decisão seja definitiva, "nós precisaremos ter solidariedade maior ainda da União". Solidária a Sergipe, ela "pediu que não desistisse do Proinveste, que buscasse encontrar soluções que permitam à Casa reapreciar a matéria". Déda respondeu que, na sua volta ao Estado, vai buscar mais informações junto à base aliada e relatar a Presidenta.

Emendas ao Orçamento

Da ministra Ideli Salvatti e da presidenta, Déda ouviu ainda o relato sobre a liberação de emendas ao Orçamento da União para 2012. Segundo ambas, dificilmente o Governo Federal vai liberar as emendas de bancada, já que a prioridade serão as emendas individuais. Portanto, comentou, "não é verdadeiro que emendas do Orçamento possam substituir o Proinveste". Mesmo que fossem liberadas, as emendas somariam cerca de R$ 200 milhões, cerca de R$ 500 milhões a menos que o montante do Proinvest.

Ponte Gilberto Amado

Num outro gesto de atenção com Sergipe, a presidenta prometeu participar da inauguração da ponte Gilberto Amado, um dos mais importantes empreendimentos turísticos em infraestrutura turística do Brasil e a maior ponte fluvial do Nordeste. Déda lembrou que esta inauguração representará mais do que o incremento do turismo sergipano, pois terá impacto na Bahia e na Copa do Mundo em 2014, ampliando o fluxo de turistas na região. A inauguração será agenda para janeiro de 2013.

O governador abordou, ainda, as operações de crédito, que tramitam no Tesouro Nacional, o Aeroporto de Aracaju, que depende da publicação do edital de licitação, o desenvolvimento urbano da capital e a duplicação da BR-101. "Eu tive a oportunidade de detalhar esta agenda com as ministras Miriam Belchior [Planejamento] e Ideli Salvatti [Relações Institucionais]".

"A partir de agora nossos secretários vão procurar as ministras para detalhar o andamento dos pleitos de Sergipe e das determinações da presidenta". Além disso, Belchior foi encarregada de conversar com o ministro Guido Mantega, da Fazenda, e transmitir as orientações presidenciais.

As dificuldades que Sergipe e outros estados brasileiros enfrentam com a queda nas receitas também integraram a agenda da reunião. Déda pediu "que o Governo buscasse através do Ministério da Fazenda uma interlocução com os estados que estão passando por mais dificuldades, para estudarmos alternativas que possam reforçar o caixa estadual neste momento, formas republicanas, transparentes da União ajudar os estados". A orientação presidencial é para que a Fazenda estude formas de apoio.

Gratidão

Por fim, "quero registrar, até por dever de gratidão, a maneira extremamente carinhosa como a presidenta demonstrou a sua solidariedade com o meu estado de saúde". Dilma quebrou os rígidos protocolos do Palácio do Planalto ao deixar a sala presidencial para buscar o governador na sala contígua e conduzi-lo à audiência.

"Em vez de esperar o governador sentada no seu gabinete, como é a praxe, saiu de seu gabinete e foi me buscar na sala de autoridades, e me recebeu com um abraço prolongado", descreveu Déda. "Quero registrar para o povo de Sergipe que, além de ser uma audiência extremamente produtiva e que me devolveu muitas esperanças com relação ao futuro de Sergipe, foi uma demonstração de calor humano".

"Uma demonstração que a presidenta do Brasil, considerada pela [revista] Forbes uma das pessoas mais poderosas do mundo, ainda é um grande ser humano. A rotina de governar um país, a rotina de intervir como ela intervém no debate mundial, especialmente da crise econômica, a rotina de botar o Brasil no rumo do crescimento, o cotidiano da vida política, não apagou dentro do coração e da alma da mulher Dilma Rousseff os valores que a fizeram ser quem ela é".

"Eu saí da audiência muito emocionado e também muito estimulado, até porque ela disse: Déda, trabalho é terapia. Eu fiz a quimioterapia e não abandonei o ministério. Nos dias que não podia vir, não vinha. Política está no seu sangue, você é um homem que a vida inteira se dedicou a isso. Se você for afastado disso, vai fazer mal a sua saúde. Por isto, quando estiver bem, faça o que você está fazendo aqui. Venha nos ver, venha aqui atrás dos ministros. Vá conduzir o seu governo".
Portos

Ao término do encontro, Déda foi convidado a participar do lançamento do "Programa de Investimento em Logística: Portos". Junto com a presidenta e outras autoridades, como o vice-presidente da República, Michel Temer, o governador desceu a rampa que liga o terceiro ao segundo andar do Palácio do Planalto.

Na audiência, o governador foi assessorado por Pedro Lopes, secretário de Governo, José de Oliveira Júnior, do Planejamento, e João Andrade Vieira, da Fazenda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário