terça-feira, 30 de outubro de 2012

Menos da metade dos governadores elegeu aliados nas capitais


Na disputa por prefeituras em 26 capitais, 11 chefes do Executivo estadual obtiveram êxito em apoiar correligionários e coligados. Dobradinha “puro sangue” se repete em apenas oito capitais
Máquina administrativa e estrutura institucional podem ajudar, mas não ganham necessariamente eleição. Apenas 11 dos 26 (42%) chefes dos Executivos estaduais conseguiram eleger aliados ou membros de coligação. A constatação vale para o Congresso: dos mais de cem parlamentares que se lançaram no pleito municipal encerrado ontem (domingo, 28) – muitos contando com o apoio de governadores e com a estrutura do Parlamento –, apenas 15 deputados conseguiram se eleger. Todos os cinco senadores que tentaram prefeituras fracassaram, e outros 56 deputados também não tiveram êxito na missão.


PSB e PSDB são os partidos com mais governadores entre os 11 que elegeram seus correligionários: cada legenda tem quatro representantes que se destacaram como “cabos eleitorais”. Os três governadores restantes são do PMDB, PSD e PT.

No cenário oposto, PMDB e PSDB respondem por metade dos 15 governadores que não conseguiram emplacar quem mereceu seu apoio: quatro membros de cada partido fracassaram nessa missão. Em seguida vem o PT, com três nomes; o PSB, com dois; e DEM e o PSD, com um representante cada sigla.
Dos 11 governadores que obtiveram êxito na tarefa, apenas oito emplacaram correligionários do mesmo partido – a dobradinha “puro sangue” – nas prefeituras de capitais. São elas: Belém (PSDB), Belo Horizonte (PSDB), Fortaleza (PSB), Maceió (PSDB), Recife (PSB), Rio Branco (PT), Rio de Janeiro (PMDB) e Florianópolis (PSD).
Os resultados das eleições municipais expuseram um mosaico pluripartidário de 11 legendas distribuídas no comando das 26 capitais estaduais. Na ordem decrescente, as legendas mais vitoriosas em capitais são PSB (5 prefeituras); PSDB e PT (4); PDT (3); DEM, PMDB e PP (2). PPS, PSD, Psol e PTC conseguiram eleger um representante cada.
Do Congresso em Foco



LEIA também:

 

Susana Azevedo é eleita conselheira do Tribunal de Contas do Estado

 

Gilmar Carvalho assume mandato de deputado com afastamento de Susana

 

Para Gualberto, bancada de Amorim rasgou a Constituição para eleger Susana

 

Governador em exercício expõe importância do Proinveste para o empresariado sergipano

 

Tribunal de Contas vai analisar dívidas de Fundação com fornecedor

 

Ministério Público escolhe Lista Tríplice para o cargo de Procurador-Geral

 

Menos da metade dos governadores elegeu aliados nas capitais

 

MPF/SE processa União, Ibama, prefeitura e Emurb por degradação ambiental em Aracaju

 

Câmara discute Plano Diretor desde novembro de 2010





Nenhum comentário:

Postar um comentário