quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Gualberto diz que Amorim é o responsável pela desarmonia na Assembleia Legislativa

Situação e oposição não se entenderam na sessão desta quarta-feira, 10, na Assembleia Legislativa e o resultado foi a reprovação de um importante requerimento pedindo regime de urgência na apreciação e votação do Projeto de Lei do Executivo que pretende contrair empréstimo de R$ 727 milhões junto ao Governo Federal. Dos 22 deputados presentes, apenas nove votaram a favor do requerimento favorável ao governo do Estado.

Para o deputado estadual Francisco Gualberto (PT), autor do requerimento derrotado, a falta de harmonia no parlamento estadual é provocada pela ação danosa do empresário Edvan Amorim, líder de vários partidos, e mentor do grupo de oposição no parlamento. “Eles querem derrotar o Estado. Edvan Amorim está pouco se lixando para o Estado. Ele quer é travar uma disputa pessoal com uma pessoa que inclusive está muito doente, que é o governador Marcelo Déda”, disse Gualberto.

Tramitando na Casa há mais de um mês, o projeto do empréstimo é considerado essencial para que o governo estadual possa realizar investimento em várias áreas de atuação do poder púbico. O dinheiro, de acordo com o projeto, servirá para construção de 11 mil casas populares, cinco escolas de ensino profissionalizante, implantação do novo IML, além das estradas Pirambu-Brejo Grande, Itabaiana-Itaporanga, Euclides Figueiredo, dentre outras obras. Com isso, a meta é gerar 27 mil empregos diretos em Sergipe.

“Desses mais de R$ 700 milhões, cerca de R$ 140 milhões servirão também para abater dívidas contraídas em 2003 e 2004, em outros governos, cujos juros eram de 12% ao ano”, explicou Francisco Gualberto. Segundo ele, atualmente o Estado tem capacidade de endividamento comprovada pelo Tesouro Nacional e a rejeição do projeto mostra apenas que o grupo de Amorim só pensa em inviabilizar o atual governo a qualquer custo.

Indignado com a rejeição do requerimento, Gualberto revelou que a trama teve início na noite anterior, quando Amorim reuniu seus liderados na sede da Ilha FM para deliberar sobre o assunto. “Não somos aquele pato bobo, que morre afogado. A estratégia deles é derrotar o projeto do nosso governo protelando o prazo para votação. Depois darão o discurso de que não eram contra, apenas o prazo para contrair o empréstimo é que se esgotou”, afirmou o líder governista.

Para Gualberto, está acontecendo um equívoco na política local. Isso porque Edvan Amorim não tem legitimidade popular alguma, justamente porque não tem mandato. “É um líder sem legitimidade política”, sustenta. “Portanto, se Sergipe perder a oportunidade deste empréstimo, podem creditar isso na conta da caderneta de Edvan Amorim. E com isso, eu lamento que Sergipe esteja mudando de perfil para pior”, concluiu Francisco Gualberto.

Com a rejeição do pedido de urgência para apreciação e votação do projeto, ficará a cargo da presidente da Assembleia, deputada Angélica Guimarães (PSC), a inclusão da propositura na pauta de votação. O prazo do governo federal para que os Estados deliberem sobre o pedido de empréstimo se esgota em duas semanas

Nenhum comentário:

Postar um comentário