sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Apagão prejudica abastecimento de água em Sergipe

O apagão que deixou o Nordeste e parte da região Norte do Brasil no escuro, na madrugada desta sexta-feira, 26, provocou o desabastecimento dos reservatórios de água da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso). Devido a falta de energia elétrica, os sistemas de bombeamento hídrico ficaram desligados por mais de três horas. Houve registros de interrupção de abastecimento em Propriá e Japaratuba, além 16 cidades atendidas na região Sul do estado. No Sertão, 20 municípios tiveram a vazão reduzida.




A Deso trabalha para recuperar o fornecimento eficiente de água para população. A previsão é que, nas localidades afetadas, as bombas levem pouco mais de 14 horas para restabelecer a capacidade dos reservatórios. Desde o início da manhã, às 5h, equipes da regional Centro-Oeste percorrem as áreas atingidas para reativar os poços e sistemas de bombeamento.

Em Propriá, apenas a parte alta da cidade foi prejudicada. Para amenizar os transtornos e atender aos serviços emergenciais, como o atendimento a unidades hospitalares, a Deso disponibilizou água potável por meio de caminhões-pipa. Já no município de Japaratuba, apenas o povoado Camará foi atingido.

Grande Aracaju

Por conta do blecaute, a interrupção de abastecimento programada (devidamente avisada) em parte da região metropolitana de Aracaju, das 7 às 21 horas, nesta sexta-feira, acabou sendo antecipada. Os reservatórios que atendem Nossa Senhora do Socorro, Barra dos Coqueiros, Atalaia Nova, bem como bairros da Zona Norte e Centro da capital, foram esvaziados antes do tempo previsto em função da falta de energia elétrica.

Em Aracaju, o apagão também causou a paralisação do fornecimento de água em todo o setor Sul e Zona de Expansão atendidos pela Deso. A empresa esclarece que em localidades a exemplo de Aruana, Farolândia, Santa Maria, Jabotiana, Coroa do Meio, Atalaia, Orlando Dantas e Augusto Franco, o desabastecimento foi motivado estritamente pela pane elétrica que desligou os conjuntos de motobombas dos sistemas Poxim e Cabrita, que não fazem parte da interrupção programada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário