quarta-feira, 31 de outubro de 2012

AGU inaugura sua nova sede em Sergipe

Evento da Advocacia-Geral da União será na segunda-feira, 5, com presença de ministros e outras autoridades


Na próxima segunda-feira, dia 5, a Advocacia-Geral da União (AGU) inaugura sua nova sede no Estado de Sergipe. O evento será realizado às 16h30 no auditório do prédio da avenida Rio Branco, 168, Centro, Aracaju. O ato contará com a presença de ministros e outras autoridades, além da apresentação do Coral 20° Voz, do Tribunal Regional do Trabalho da 20° Região.

A nova sede da AGU, que já abrigou a Federação das Indústrias de Sergipe e o Tribunal Regional do Trabalho da 20° Região, foi totalmente reformada e modernizada para receber a instalação da Procuradoria Federal e Consultoria Jurídica da União, que prestam os serviços jurídicos de representação judicial das autarquias e fundações públicas federais, e a consultoria jurídica dos órgãos diretos da União, respectivamente, agora atuando no mesmo espaço físico. Isso possibilita uma racionalização nos custos, com o compartilhamento de toda a sua estrutura, permitindo uma eficiência nos serviços públicos prestados à sociedade.

Para o procurador-chefe da Procuradoria Federal no Estado de Sergipe, Gustavo Amarante Rabelo de Moraes, o evento mostra sua importância também, pois será assinada a portaria reinstalando a unidade no novo modelo de atuação, com a concentração da representação judicial de todas as 155 autarquias e fundações públicas federais. "Tal ato busca através de uma atuação centralizada e especializada uma efetividade no cumprimento das ações institucionais da Procuradoria Federal, trabalhando em todas as esferas do Judiciário em Sergipe", disse o procurador-chefe.

Para o coordenador-geral da Consultoria Jurídica da União no Estado de Sergipe, Francisco José de Andrade Pereira, "a nova sede vai permitir melhorar o assessoramento jurídico nos atos administrativos praticados às autoridades da União no Estado de Sergipe, com a atuação em conjunto com a unidade do contencioso judicial".

Segundo Gustavo Amarante e Francisco José a nova estrutura possibilitará avançar ainda mais na qualidade dos serviços públicos prestados à sociedade, com a viabilização das políticas públicas e no controle prévio da legalidade, afetos às autarquias federais como o INSS, INCRA, IBAMA, DNIT, UFS, IFS e demais entes, bem como dos órgãos diretos da União como Comando do Exército, Polícia Federal e Ministério da Saúde, e demais unidades.


Nenhum comentário:

Postar um comentário