sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Sukita diz que grupo de Amorim distribuiu dinheiro e mandou capangas para cobrar voto

De acordo com o prefeito de Capela, Manoel Messias Sukita (PSB), pessoas ligadas ao grupo político dos irmãos Amorim distribuíram dinheiro, areia e telhas, entre outros bens, em troca de votos. Ainda de acordo com Sukita, políticos ligado aos Amorim também teriam mandado alguns capangas para pressionar a população que aceitou os “presentes” a colar cartazes em suas casas e declarar voto ao candidato do PSC no município.

De acordo com o prefeito, na última quarta-feira, por volta das 23 horas, moradores do povoado Pedras teriam chamado a polícia. Isso porque alguns policiais militares à paisana teriam sido contratados pelo grupo político dos Amorim para ameaçar a população. Quando os policiais do município chegaram para atender ao chamado, eles teriam se identificado como PM’s.

“Eles entregam areia, dinheiro, telha, e depois mandam o pessoal das pesquisas passar no local, para ver se melhorou. Mas muitas pessoas não aceiram e outros recebem, mas não votam. Aí ele manda os ‘pitbulls’ para ‘arrochar’ o povo, para que as pessoas digam que vão votar no candidato e coloquem cartazes em suas casas”, disse Sukita.

Problemas estariam acontecendo desde o início da campanha, mas segundo Sukita começaram a se intensificar nos últimos dez dias. “Amorim quer impor aqui no município o mesmo modo que ele opera em todo o Estado, da forma que todo mundo sabe como é. Mas o povo não está aceitando e tem denunciado”, continuou o prefeito.

“Isso é um escândalo. A pesquisa passa nas casas que receberam o benefício, quando o povo não diz que vota no candidato eles mandam os ‘pitbulls’ para ‘arrochar’ a população, para que as pessoas falem ‘na tora’ que votam. Felizmente até agora as pessoas tem se mantido consciente, porque nosso projeto em Capela foi o que melhor funcionou em Sergipe”, continuou Sukita.

Delegado
A reportagem do JORNAL DA CIDADE entrou em contato com o delegado Rodrigo Espinheira, responsável pelo município de Capela. Ele foi informado dos fatos por policiais da delegacia, mas ressaltou que até o final da manhã de ontem ninguém havia realizado o Boletim de Ocorrência.

“Chegou ao meu ouvido o fato de que teria ocorrido um tiroteio, mas parece que foi exagero. Também fui informado de que havia gente portando armas, mas não possuo maiores detalhes. Seria importante que a população fosse à delegacia registrar a ocorrência, para que posamos fazer perguntas e identificar quem foram essas pessoas, para assim intimá-las”, disse o delegado.

LEIA MAIS:

Déda cria comissão para acompanhar projetos do Hospital do Câncer

João Alves diz que vai tornar saúde pública de Aracaju referência no Nordeste

PMA apresenta projeto para conter avanço do mar na 13 de julho

Déda vai liberar recursos para reforma da catedral

Presidente nomeia integrantes das comissões para escolha de conselheiro do TCE

Rogério se reúne com global Luigi Baricelli e empresários do setor de tecnologia para discutir projetos

Exportações em Sergipe caem 27,5% em Agosto

Governo ressalta que no acumulado exportações cresceram 46,8%

Nenhum comentário:

Postar um comentário