quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Plano Diretor é discutido pelo Comitê de Arborização Urbana

Discutir e elaborar propostas para construção do Plano Diretor de Arborização Urbana e submetê-lo ao Poder Legislativo. Este foi o objetivo de mais uma reunião do Comitê de Arborização Urbana, realizada esta semana na sede da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (Aease).
O presidente do Comitê, Fábio Silva, explicou a intenção do documento. "Debatemos e discutimos propostas para construção de um Plano Diretor de Arborização Urbana que atenda às demandas técnicas e às manifestações de interesse  da sociedade. O Plano que pretendemos construir traça diretrizes para o planejamento, implantação e conservação da arborização de nossa capital, destacando questões como mobilidade urbana e sustentabilidade", afirmou ele.

O comitê reúne-se bimestralmente e é composto por representantes da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sergipe (Aease), Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan), Secretaria de Estado do Planejamento de Sergipe (Sedurb), Administração Estadual de Meio Ambiente (Adema), Empresa Municipal de Obras e Urbanização (Emurb), Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Conselho Regional de Arquitetura e Agronomia (Crea), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe (IFS), Universidade Tiradentes (Unit), Universidade Federal de Sergipe (UFS), ONG Vida Ativa, ONG Ciclo Urbano, Sociedade Semear e Energisa.

Para a representante da Embrapa e coordenadora do projeto, Salete Alves Rangel, o Plano Diretor é um dos documentos mais importantes quando relacionado à arborização urbana. "Para que se tenha um projeto de arborização adequada na capital é necessário um documento oficial que norteie esta ação. Este documento reunirá todas as exigências em relação à largura de calçadas, o tipo de árvore que deve ser plantado para cada região, a distância da planta para o hidrante, entre outras. Arborizar uma cidade é um investimento caro, exige um grande planejamento e por isso é tão importante à elaboração do Plano Diretor para que esta ação não seja efetuada de forma desordenada", explicou à coordenadora.

O engenheiro agrônomo e representante da Aease Antonino Campos destacou que a Câmara Municipal atualmente discute sobre o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Sustentável de Aracaju (PDDUS). "Este plano está sendo discutido na Câmara e trata de áreas verdes, Código Ambiental, algo que de certa forma se completa com o nosso projeto e pode fortalecer a proposta de aprovação do Plano Diretor de Arborização para a capital", afirmou o engenheiro agrônomo.

Confiante sobre a elaboração do Plano baseado em estudos científicos, o gerente de Áreas Verdes da Emsurb, Francisco Ney Macedo, ressalta sobre o empenho do órgão. "A Emsurb está comprometida com o projeto ao possibilitar os subsídios necessários para a elaboração do Plano Diretor que tem grande chance de ser aprovado. Trabalhar com arborização é algo complexo e determina cuidados principalmente em uma cidade como Aracaju, que mesmo com o avanço das ações da Prefeitura em relação à mobilidade urbana, ainda possui problemas na área", concluiu o gerente.

Guia de Arborização
Depois de concluído o Plano Diretor, o Comitê dará início à elaboração do Guia de Arborização Urbana de Aracaju, que será um material didático voltado para a população.

Nenhum comentário:

Postar um comentário