sábado, 18 de agosto de 2012

João Alves diz que vai tornar Aracaju a capital mais segura do Nordeste


“Aracaju será a capital mais segura do Nordeste e vamos propiciar a chegada de investimentos de grupos empresariais de fora para contribuir no desenvolvimento econômico e na geração de emprego e renda”. O compromisso foi assumido pelo candidato da coligação “Aracaju não pode esperar”, João Alves Filho (DEM), no almoço promovido pela Associação Comercial e Empresarial de Sergipe, no Hotel Mercure, revelando que na sua administração vai implantar um Plano Estratégico pensando em Aracaju para os próximos 20 anos”.


João Alves recebeu um documento elaborado pela Associação Comercial e Empresarial de Sergipe contendo 25 itens, no qual relata os principais problemas que afetam diretamente o comércio e o desenvolvimento econômico da capital, gerados pela ausência de uma política do Poder Público Municipal para o setor. Os empresários foram contundentes no relatório, quando revelaram a decadência do centro comercial e a falta de segurança para lojistas e consumidores.

O ex-governador anunciou, durante a exposição do seu programa de governo, que vai administrar como ensina o urbanista Jaime Lerner, separando o fundamental do importante, focando sempre na resolução dos problemas de maior gravidade.  Para isso, assinalou, “vamos criar o Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano para equacionar os problemas da cidade e direcionar o desenvolvimento para o futuro, a exemplo do que aconteceu quando fui prefeito na década de 70”.

Para o democrata, a capital sergipana enfrenta uma crise sem precedentes por falta de planejamento. A cidade não cresceu. Aracaju inchou e os problemas aumentaram porque o Poder Público foi ineficaz. “Vamos trabalhar com um plano de saneamento e executar as obras, que alguns políticos não gostam porque não dão voto”. São as obras que ficam embaixo da terra, não tem visibilidade e o povo não lembra quando vai votar no candidato.

O principal, segundo João, é administrar pensando na verdadeira qualidade vida, dando prioridade à medicina preventiva e ofertando mais saúde à população. Ele repetiu dados da Unesco, que ressalta investimentos na área de saneamento básico: Em cada dólar investido em obras de saneamento, economizam-se 4 dólares no setor da saúde pública.

O candidato da coligação composta por 13 partidos políticos estava animado no “almoço com negócio” promovido pela ACESE, onde reencontrou amigos e contemporâneos. João saudou a todos na pessoa do empresário Josias Passos. Fez uma apresentação considerada convincente, ao expor as soluções propostas para o sistema viário, o trânsito e o transporte coletivo.

João Alves ressaltou que as áreas verdes vão ser prioridade no seu governo municipal, caso venha a ser eleito prefeito de Aracaju. Ele prometeu revitalizar o centro histórico e reiterou o desejo de criar 1,5 mil  vagas de estacionamento no coração de Aracaju. Mil vagas serão criadas pelo poder público e mais 500 serão da iniciativa privada, através de incentivo do Município, disse o ex-governador.

INCENTIVOS FISCAIS
A política de incentivo fiscal é um dos pontos prioritários do programa de governo do candidato democrata, que preferiu não revelar detalhes de como vai aliviar a carga tributária imposta pelo município aos empresários. João adiantou que vai desburocratizar o funcionamento da máquina administrativa visando facilitar a vida de quem gera emprego e renda para Aracaju.

O candidato, que tem como slogan “João é a Solução”, disse que é possível reduzir imposto sem reduzir a arrecadação. O IPI diminuiu, porém o Governo continuou arrecadando com o aumento nas vendas. “Vamos estudar a redução do ISS, pois Aracaju tem uma das mais altas cargas tributárias do Nordeste. O empresário não pode ser penalizado por falta de uma política do incentivo”, salientou.

João prometeu criar duas secretarias municipais – uma do Meio Ambiente e a outra de Comércio, Desenvolvimento Econômico e Turismo. A notícia agradou aos empresários, que aproveitaram para requerer, através de documento, a abertura de um canal de diálogo com o município. Como resposta, o ex-governador de pronto garantiu a implantação de um conselho permanente composto por representantes da ACESE, CDL e Federação do Comércio, que será um elo entre o empresariado e o Poder Público.

O democrata se despediu agradecendo àqueles que se manifestaram como seus admiradores e afirmou que seis meses após a sua posse almoçará com os diretores da ACESE para fazer uma reunião, quando serão tratados assuntos de interesse da classe empresarial.
  
Do Comitê de Imprensa do candidato

Nenhum comentário:

Postar um comentário