sábado, 18 de agosto de 2012

Jackson quer Ministério Público investigando Assembleia Legislativa


O vice-governador Jackson Barreto (PMDB) está defendendo que o Ministério Público realize uma investigação criteriosa na Assembleia Legislativa de Sergipe, visando apurar a transferência de recursos para a rádio Ilha FM. Jackson ainda reafirmou suas críticas em relação ao contrato da Assembleia com a rádio e rebateu as palavras do empresário Edvan Amorim (PTB), que em resposta a JB afirmou que ele havia cometido “malandragens” na Prefeitura de Aracaju. 

“Edvan Amorim esqueceu as regras básicas da máfia: Dom Corleone não aparece, manda os seus prepostos. Edvan é presidente do PTB, e na matéria publicada na imprensa eu falei sobre o PSC. A minha discussão política é com o presidente do PSC, que tem mandato, e que está na vida pública, como eu. Edvan Amorim não é nada, não representa nada e não vou bater boca com quem não tem nenhuma importância política”, falou Jackson.

O vice-governador ainda afirmou que nunca foi condenado judicialmente e desafiou o empresário Edvan a mostrar qualquer condenação sua na Justiça sergipana ou nos tribunais superiores, em Brasília. “Já Edvan tem uma vida bastante conhecida e a classe média tem pavor de pensar na possibilidade desse grupo chegar ao poder em nosso Estado. A preocupação de todos é que o Estado seja tomado por pessoas que enriqueceram sem explicação. Além disso Edvan é condenado pela Justiça, no escândalo do Banestado, onde sua empresa ficou falida e deixou muitos pais de família na miséria”, continuou JB.

Barreto também falou que Amorim teria feito um acordo com o ex-governador João Alves Filho (DEM), no último governo do Democrata, onde teria sido exigido a diretoria financeira da secretaria da Educação e a Secretaria da Saúde – justamente as que registraram o que Jackson chamou de os grandes escândalos do governo de João. “Quem conhece a minha vida em Sergipe sabe que sou um homem público que teve vários mandados, mas não tenho patrimônio algum, ao contrário de quem era pobre e da noite para o dia virou rico, sem ganhar na loteria ou sem herdar nada. Algumas pessoas envolveram até familiares em empresas falidas, como é de conhecimento público. Edvan Amorim, não tente tapar o sol com a peneira, Sergipe inteiro lhe conhece e sabe do que você é capaz”,

“Não pense que vou temer suas emissoras de rádio, já enfrentei até cadeia de rádio e televisão e estou vivo, muito vivo politicamente, para impedir que vocês botem a mão nos recursos públicos do povo sergipano. Quanto ao escândalo de 1,7 milhão pagos à Rede Ilha través da Assembleia, cuja presidente é do PSC, deixo bem claro que feito para favorecer o seu grupo. Mande o presidente do PSC me responder, porque com você não vou discutir mais, porque não quero lhe dar ibope”, concluiu o vice-governador.


Nenhum comentário:

Postar um comentário