terça-feira, 24 de julho de 2012

Três candidatos possuem patrimônio superior a R$ 1 milhão

Dado é referente aos dez maiores municípios de Sergipe. Outros quatro declararam não possuir nada

Por Max Augusto

Nos dez municípios sergipanos com maior número de eleitores, três candidatos declararam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que possuem um patrimônio maior do que R$ 1 milhão. Já entre os quatro candidatos mais “pobres”, três declararam não possuir bem algum, enquanto um afirmou possuir R$ 5,5 mil. Nos dez municípios avaliados, Almeida Lima (PPS), que disputa a prefeitura da capital, continua sendo o mais “rico”, declarando bens no valor de quase R$ 2 milhões – conforme o JORNAL DA CIDADE já mostrou. Veja os demais.

Fora da capital, Gilson
é o mais rico

Em segundo lugar vem o ex-pastor e deputado federal Heleno Silva (PRB), com cerca de R$ 1,2 milhão. Seus principais bens são dois apartamentos amplos e muito bem localizados, além de uma casa em construção. Heleno é o candidato da oposição e entra na disputa para administrar o município de Canindé do São Francisco (35.896 eleitores) ao lado da ex-prefeita Rosa Galindo (PSB). Ele avalia que para isso gastará no máximo R$ 800 mil na campanha eleitoral – informação prestada ao TSE, oficialmente.

Dois candidatos aos cargos majoritários possuem patrimônio bem próximo a R$ 1 milhão: Lila Fraga (PSDB), que disputa a Prefeitura de Lagarto (63.161 eleitores), e Fábio Henrique (PDR), que tenta a reeleição em Nossa Senhora do Socorro (o segundo maior colégio eleitoral, com 89.979 votantes). Lila declarou bens no valor de R$ 915 mil e pretende gastar mais do que o dobro na campanha eleitoral: R$ 2 milhões. Já Fábio tem um patrimônio de R$ 903 mil e vai gastar até R$ 2,5 milhões para tentar convencer os eleitores. Entre os bens de Fábio Henrique, destaque para dois imóveis e uma gorda poupança. Já Lila além de um sítio e um apartamento, possui imóveis, carros, trator e uma boa quantia em espécie.

Dando continuidade à lista, dois nomes possuem bens avaliados na casa dos R$ 800 mil: César Mandarino (PSC), de Itaporanga (34.938 eleitores), e Dilson de Agripino (PT), Tobias Barreto (32.563). César pretende gastar “apenas” R$ 200 mil, numa campanha quase franciscana, enquanto Dilson declarou que vai precisar de até R$ 500 mil para continuar na cadeira de prefeito. César tem na relação do seu patrimônio um apartamento em Aracaju, casa na praia da Caueira, parte de uma fazenda e uma boa poupança. Dilson é dono de três imóveis rurais e quatro imóveis em Aracaju. Veja no BOX a seguir o ranking dos candidatos majoritários mais ricos nos dez municípios com maior eleitorado.  

Pobres
Patrimônio zero,  Padre Inaldo
Nos mesmos dez maiores municípios em número de eleitores, três candidatos aparecem como os mais “pobres” – neste caso na acepção mais profunda da palavra, já que declararam oficialmente não possuir bem algum. Um deles, o padre Inaldo (PCdoB) vai disputar a prefeitura de Socorro, contra Fábio Henrique, que aparece na lista a seguir como o quarto candidato mais rico. Apesar de nada ter, o padre pretende gastar na campanha até R$ 800 mil – três vezes menos do que a previsão do seu opositor.

Outros dois “sem-nada” vão disputar a prefeitura do igualmente desprovido de riqueza município de São Cristóvão (48.583 eleitores): Carlos Vilão (DEM) e Professor Luiz Alberto (Psol). Mesmo sem posses, Vilão registrou que poderia gastar até R$ 1 milhão. Luiz Alberto deixa claro que os gastos da sua campanha não deverão passar do R$ 50 mil.

Eles se unem à Vera Lúcia (Psol), que disputa a prefeitura de Aracaju e também não possui patrimônio, conforme o JORNAL DA CIDADE já mostrou. Jean Carlos, de Boquim, fecha a lista dos mais desprovidos de bens materiais (possui apenas uma motocicleta ano 2009, no valor de R$ 5,5 mil), mas que pretende gastar R$ 800 mil até outubro. Acompanhe a tabela.


OS MAIS RICOS*

1-      GILSON ANDRADE (PTC – Estância)
Gasto de Campanha: R$   800.000,00               Bens declarados: R$ 1.662.717,62

2-      HELENO Silva (PRB – Canindé do São Francisco)
Gasto de Campanha: R$   800.000,00               Bens declarados: R$ 1.220.000,00

3-      LILA FRAGA (PSDB – Lagarto)
Gasto de Campanha: R$ 2.000.000,00             Bens declarados: R$ 914.530,74

4-      FABIO HENRIQUE (PDT – N. Sra. do Socorro)
Gasto de Campanha: R$ 2.500.000,00             Bens declarados: R$ 903.078,45

5-      CESAR MANDARINO (PSC – Itaporanga d’Ajuda)
Gasto de Campanha: R$   200.000,00               Bens declarados: R$  819.808,75

6-      DILSON DE AGRIPINO (PT – Tobias Barreto)
Gasto de Campanha: R$    500.000,00              Bens declarados: R$ 800.890,00

7-      MARCOS ANDRADE (PPS – Tobias Barreto)
Gasto de Campanha: R$     200.000,00             Bens declarados: R$ 727.245,61

8-      CARLINHO DA PADARIA (PTdoB – Itaporanga d’Ajuda)        
Gasto de Campanha: R$ 1.000.000,00             Bens declarados: R$  700.000,00

9-      VALMIR MONTEIRO (PSC – Lagarto)
Gasto de Campanha: R$    500.000,00              Bens declarados: R$ 559.000,01

10-  PROF. WANDERLÊ (PMDB – São Cristóvão)                    
Gasto de Campanha: R$  1.000.000,00            Bens declarados: R$ 500.000,00

11-  CARLOS MAGNO (DEM – Estância )
Gasto de Campanha: R$   500.000,00               Bens declarados: R$   462.600,00

12-  PEDRITA – (PHS – Umbaúba)
Gasto de Campanha: R$   179.500,00               Bens declarados: R$   420.118,80



OS MAIS POBRES*

1-      PADRE INALDO (PCdoB – N. Sra. do Socorro)
Gasto de Campanha: R$ 800.000,00                 Bens declarados: Nenhum

2-      CARLOS VILÃO (DEM – São Cristóvão)
Gasto de Campanha: R$ 1.000.000,00             Bens declarados: Nenhum

3-      PROF. LUIZ ALBERTO (PSOL - SÃO CRISTÓVÃO)
Gasto de Campanha: R$    50.000,00                Bens declarados: Nenhum

4-      JEAN (PSD – Boquim)
Gasto de Campanha: R$   800.000,00               Bens declarados: R$     5.500,00

*As duas tabelas consideram os dez municípios com maior número de eleitores em Sergipe, com exceção de Aracaju: N. Sra. do Socorro, Lagarto, Itabaiana, São Cristóvão, Boquim, Estância, Canindé do São Francisco, Itaporanga d’Ajuda, Umbaúba e Tobias Barreto

No interior do estado, o médico e deputado estadual Gilson Andrade (PTC), que disputa a Prefeitura de Estância, é o mais rico. Ele possui propriedades rurais, imóveis e veículos avaliados em pouco mais de R$ 1,6 milhão. Para se eleger no município que é o sexto em número de eleitores, com 40.224, Gilson espera gastar no máximo R$ 800 mil, conforme informou também ao TSE.

LEIA MAIS:





Nenhum comentário:

Postar um comentário